"Então, falando ele estas coisas em sua defesa, Festo disse em alta voz:
Estás louco, Paulo! As muitas letras te levam à insanidade!"
(Atos dos Apóstolos 26.24)

terça-feira, setembro 30, 2008

Anseio abolicionista

Olho para esta Princesa Isabel
Em relevo prata na moeda de 1 Real.
E pergunto com o olhar no vil metal
Por que ser escravo do monetário papel.

4 comentários:

Talita disse...

mas é assim msm? ou depende do valor q damos? pois já ñ é possível ignorar o valor q o dinheiro (o papel ou o metal) tem, mas será impossível valorar esse valor (sem querer ser redundante) de forma a ñ se submeter a ele por completo?
bem, dinheiro virou meio p/ qse td e valor p/ qse td - mais uma medida da realidade. entretanto, a celulose relembra a proximidade entre o papel e o capim...

continue me lembrando do seu blog. goasto dele, só ñ lembro sempre de visitar. abraços.

Marquinhos disse...

dinheiro!
dinheiro!
quero muiiiiiiiiiiiiiito isso!
hauahuahuahauhau

Anônimo disse...

Amor, obrigada por permitir que olhemos e percebamos a vida também através dos teus olhos. Esse breve poema conta uma das mais gigantes verdades. Quero comentá-lo novamente em outro momento.
Beijos!

Anônimo disse...

Marlova e eu comentamos que esse poema foi mais uma das tuas sacadas interessantes.
Nunca desista de publicar teus pensamentos. Ao reparti-los, está sempre acrescentando e contribuindo muito para o desenvolvimento dos nossos.

Beijos, amor!